terça-feira, 22 de agosto de 2017

Cabelo | Reverse braided bun


Uma forma diferente de fazer um messy bun, para as amantes de tranças.

Lição importante para a vida

A partir do momento em que sabemos perfeitamente quais são os nossos defeitos, os nossos pontos fracos, as coisas que podemos melhorar e trabalhamos nelas ou começamos a aceitá-las, nunca mais ninguém nos poderá ofender quando nos apontarem essas mesmas falhas. O que me ofende é dizerem que sou coisas que eu sei que não sou. Apontarem os defeitos com os quais eu vivo diariamente, com os quais eu trabalho para melhorar ou já aceitei como forma de ser e pronto, não faz qualquer mossa em mim. Dizerem-me que sou teimosa, orgulhosa, crítica ou muito opinativa tem o mesmo efeito em mim que me dizerem que sou baixa. Sou sim, e então? Get over it, I already did. 

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Plataformas para rentabilizar redes sociais

Longe vão os tempos em que as pessoas criavam blogs pelo simples prazer de escrever e partilhar. Embora existam ainda muitos blogs com esse único propósito, poucos são os que se mantêm fiéis à ideia de escrever só por prazer.
Confesso que esta coisa de escrever só porque pagam, sem sequer ter cuidado naquilo que divulgam ou na forma como o fazem, me deixa sempre de pé atrás. Não tenho nada contra a publicidade, desde que seja feita de forma profissional e tendo em conta a essência do blog e aquilo que os leitores gostam de ver e de saber e que a mesma siga a máxima de recomendações genuínas.

O meu blog sempre foi e sempre será genuíno. Quando comecei nisto dos blogs foi para escrever o que bem me apetecesse, falar do que queria e quando queria, sem filtros. Sempre tive gosto pela escrita e mais ainda pela partilha. Não tenho pretensões de viver do blog (embora seja algo que até me imagino a fazer e a gostar), mas não nego oportunidades de ganhar alguma coisa com este hobbie. Se posso fazer o que gosto, manter a essência do blog e ainda ganhar uns trocos com isso, I am in. Foi por isso que me inscrevi na plataforma Inzpire.me

Nesta plataforma para influencers, podemos dar a conhecer as nossas redes a um mercado global de marcas. Fazendo uma atualização do nosso perfil, podemos colocar um sem fim de temas que abordamos nas nossas redes e tornarmo-nos mais facilmente acessíveis para as marcas que procurem divulgação/parcerias nessas áreas. Não precisamos de ter um número específico de seguidores ou visitas, embora ajude ter maior abrangência para certas campanhas. Somos nós que definimos a taxa cobrada pela divulgação/parceria e a plataforma cobra 5% dos nossos ganhos. A inscrição é gratuita. 

Embora não esteja nisto dos blogs para ganhar dinheiro, como já referi, penso que não vem mal nenhum ao mundo por me inscrever em serviços deste tipo. Nunca se sabe o que pode surgir daí e não se perde nada em experimentar. Inscrevi-me muito recentemente e, por isso, não posso dar ainda um feedback aprofundado, mas a forma como tudo funciona parece bastante simples, o layout da página também é bastante intuitivo e não há nada de complicado no processo. É só inscrever, atualizar o perfil e ficar à espera que as marcas nos enviem propostas de algum trabalho, que podemos ou não aceitar (e aqui está a essência da coisa: se acharmos que aquilo não acrescenta nada ao nosso estilo de posts ou aos nossos leitores, se não confiarmos na marca ou no produto, não aceitamos e está tudo bem com isso) e negociar valores conforme acharmos mais vantajoso. 

Alguém já experimentou algum serviço deste género? Recomendam? Contem tudo.

Quem se quiser inscrever, pode fazê-lo aqui

Vivo o amor como me faz feliz, sem seguir recomendações dos outros

Quando comecei a namorar, com 14 anos, eu e o meu namorado decidimos que, nas férias grandes, nos veríamos dia sim, dia não, para não nos fartarmos um do outro. Ah a ingenuidade da idade... Até que a ideia era bem madura para a idade e para um par de adolescentes que estava a conhecer o amor e essas coisas todas, mas rapidamente percebemos que não fazia sentido nenhum para nós. Gostávamos um do outro, gostávamos da companhia do outro e queríamos estar juntos sempre que possível. Em menos de nada, este sistema completamente racional e maduro caiu por terra. So what se nos fartarmos um do outro? Que seja! Não vamos deixar de fazer as coisas que queremos com medo do que possa acontecer futuramente. 

A verdade é que já passaram 10 anos e continuamos a fazer o máximo de coisas possíveis juntos. Sim, somos quase vizinhos. Sim, andamos sempre na escola juntos. Sim, fomos tirar o mesmo curso na mesma faculdade. Sim, somos uns colas. Não, ainda não nos fartámos um do outro! Agradecemos a preocupação de terceiros, mas é assim mesmo que gostamos de ser e de viver. Temos tempo e liberdade para fazermos coisas individualmente, para estarmos sozinhos e fazermos coisas que o outro não gosta/não quer. Temos amigos em comum, óbvio, já que frequentamos os mesmos sítios e conhecemos as mesmas pessoas desde os 5 anos. Mas isso não impede que cada um de nós tenha amigos que sejam só de um ou não possa fazer planos que não incluam o outro.

Acho muito triste quando as pessoas vêm com essa conversa de que passamos o tempo todo juntos e, por isso, nos vamos fartar facilmente um do outro. Como podemos ver, tem funcionado para nós viver assim. Não somos melhores do que ninguém e o que funciona connosco não tem que funcionar para todos. Há pessoas que precisam de muito espaço, de estarem sozinhas e que se fartam facilmente dos outros. Cada um deve viver as relações como bem entender. Eu não percebo como alguém pode amar outra pessoa e não querer aproveitar todo o tempo disponível para estar com essa pessoa, mas não é por isso que digo que as relações dos outros vão falhar. Agradecia que tivessem essa mesma consideração por mim. Se eu quiser passar 24/7 com o meu namorado e ele quiser isso também, se nos sentimos bem assim e é assim que faz sentido para nós, então não me parece que sejam os outros a ter que definir os contornos da minha relação e da minha vida.

Descansem as alminhas que pensam que quando tudo acabar (e quem disse que vai acabar, já agora? Ninguém sabe, nem nós!), vamos ficar os dois sozinhos, isolados do mundo, sem saber viver sem ser em par. Relaxem, temos a nossa vida individual e somos adultos bastante independentes e com relacionamentos saudáveis com outras pessoas. Não é porque eu passo muito tempo com o meu namorado que deixo de prestar atenção às outras pessoas da minha vida. Não vou ficar só e abandonada se um dia o nosso namoro acabar, tal como não fiquei quando isso aconteceu. 

Eu não sei amar com cautelas. Sou de tudo ou nada, em tudo na minha vida. Dou tudo de mim, sempre. Quando gosto de alguém, seja quem for, quero estar com aquela pessoa o máximo de tempo possível e fazer muitas coisas com aquela pessoa. Namorar para nos vermos só ao fim de semana, por opção, porque tenho mais que fazer à semana ou estou cansada ou não me apetece ver aquela pessoa,  não dá para mim. Ótimo para quem quer viver assim - be it - mas eu prefiro um dia fartar-me dele porque estou sempre com ele e conheço tudo dele, do que passar anos com uma pessoa que não conheço ou com quem só quero estar de longe a longe.

sábado, 19 de agosto de 2017

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Coisas que eu nunca imaginaria que são "caras pra brurro"!

Não é que sejam coisas proibitivas, apenas têm preços que eu considero elevados para aquilo que são ou para o que servem. E claro que depende da qualidade, das marcas e da própria utilidade. E depende do que cada um acha caro. Há coisas que nunca tinha comprado e não fazia ideia do preço, por isso levei um susto quando comecei a perceber a realidade das coisas.

Ora aqui vai uma lista de coisas que eu nem imaginava que tinham este tipo de preços:


  1. Toalhas de casa de banho. 10€ um toalhão de banho? 5€ cada toalha de rosto? Conjuntos de toalhas a 50€?? Não fazia ideia, mesmo!
  2. Pijamas. Quem nunca reclamou de receber pijamas no Natal? Pois, eu também reclamava, até precisar de comprar pijamas e perceber que aquela simples coisa que serve só para me enfiar na cama e dormir pode custar tanto como a roupa que uso no dia a dia. Pijamas a 15€? Damn. 
  3. Toalhas de mesa. Outro roubo! Ia morrendo quando percebi que há toalhas de mesa a custar mais de 20€. Porquê? Qual a razão destes preços? Uma toalha de mesa que serve para sujar, que fica com manchas de comida em muitos casos... Eu sei que são coisas que duram uma vida, mas mesmo assim. 
  4. Aspiradores. Eu acho aspiradores caros. Se tivermos em conta que é um eletrodoméstico até nem falamos de preços muito altos, mas eu considero caro para o uso que se dá. Nem é que seja caro, é daquelas coisas que custa a dar o dinheiro, não sei porquê :)
  5. Cuecas. Não é que seja caro, mas também é outra coisa chata de comprar. Gastar tanto dinheiro numa coisa que nem está à mostra... Prefiro dar esse dinheiro por uma peça "de fora", que os outros vejam e apreciem. 

  6. Lençóis. Um conjunto de lençóis ainda percebo que seja mais caro, mas dar 15€ por um lençol de baixo e mais 20 ou 30€ por um lençol de cima, comprados em separado, é coisa para me deixar boquiaberta.
  7. Calçado de fabrico nacional. Sei que isto é controverso, mas não faço questão destas coisas de comprar nosso ou de fabrico externo. Estou-me bem a lixar para quem faz o calçado. Calçado português custa muito mais do que os outros, não sei porquê. Custa-me ainda mais por saber que as pessoas que trabalham neste ramo são mal pagas e praticamente escravizadas. "Comprem calçado português, vamos ajudar o que é nosso", só se for ajudar os empresários do calçado a enriquecer porque pagam uma miséria aos trabalhadores e nem os têm a trabalhar legalmente, na maioria das vezes (tenho muitos familiares a trabalhar nesta área).
  8. Tudo o que seja para casamentos ou para bebés. São duas áreas em que as pessoas não querem poupar porque querem o melhor para o seu dia especial ou para o seu bebé, por isso tudo é inflacionado. Roupa de bebé é minúscula e custa tanto como roupa de adultos. Sei que dá mais trabalho, são mais pormenores, mas também é muito menos tecido!
  9. Maquilhagens profissionais para noivas. Tenho um amigo que trabalha nesta área e disse-me que há maquilhagens de noiva a custar 100€, 150€... No way! Pensei que falávamos de preços a rondar os 50€ e já achava muito! Penso que isto também deve mudar muito de profissional para profissional, mas ainda assim. Que roubalheira! Uma maquilhagem que dura o dia e nem sequer ficamos com produtos para nós. Caro pra burro, indeed!
(sim, só nove, desculpem lá os maníacos da perfeição mas não consegui pensar num 10º ponto)

Que coisas é que vocês acham super caras ou que vos custa dar o dinheiro pela utilidade que têm?

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Mulheres são seres complicados

Estão a ver aquela coisa de as mulheres serem más umas para as outras? É tão simples quanto esta rivalidade que parece existir entre mães e filhas. Aquela coisa de apaparicar os homens mas preparar as mulheres sempre para o pior, para serem elas a cuidar de tudo. Senão vejamos:
a minha mãe limpa a casa toda, quarto do meu irmão incluído, mas nem entra no meu; arruma as tralhas de todos, menos as minhas;  guarda as roupas de todos, mas as minhas ficam em cima da cama para eu arrumar; faz o lanhe para toda a gente mas nem se diga a preparar-me um pão... São pequenas coisas e sei que não o faz com maldade, mas cai mal. Diz sempre "Oh, não faço para ti porque tu sabes fazer". Sim, mas o meu irmão e o meu pai também sabem preparar um pão, guardar a roupa deles nos armários deles, limpar o quarto deles etc e tal. 

Ai M, que mimada, também queres que a tua mãe te faça tudo. Não, não se trata disso. Tenho quase 25 anos, sou bem capaz de tomar conta de mim e das minhas coisas e a minha mãe (ou quem quer que seja) não tem obrigação de fazer nada por mim. Mas se faz para os outros de bom grado, podia fazer para mim também. Mas não, sou mulher, tenho que me desenrascar, não há cá mimos. E depois ainda nos admiramos que somos todas umas cabras umas para as outras, quando a competição começa em casa, desde pequeninas.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

20 factos sobre mim


  1. Sinto-me "um peixe fora de água" em locais muito chiques ou cheios de etiquetas. Gosto de coisas simples, de comidas simples, de não ter que me preocupar com parecer bem.
  2. Adoro conversar! Sou uma fala barato, gosto mesmo de uma boa conversa.
  3. Um dos sonhos da minha vida é ter uma casinha com jardim, no meio do nada, onde os meus 3 filhos possam correr e brincar sem preocupações e onde eu possa ter um cantinho para plantar flores.
  4. Adoro flores! Adoro qualquer flor, das mais "uau" às mais simples, mesmo do campo. Tenho um verdadeiro fascínio por flores e adoraria ter o meu próprio jardim. Foi a única característica que me "calhou" da minha avó paterna.
  5. Sei que muitas vezes transmito uma ideia errada de mim, que faço parecer que sou fria, uma bruta, mas na verdade sou um coração mole. Conheço poucas pessoas tão amorosas quanto eu, digo-o sem falsas modéstias. Sou boa pessoa, faço tudo pelos outros, sou uma lamechas, mas também tenho um feitiozinho fodido, não me calo, não me deixo rebaixar e digo tudo o que tiver a dizer, daí as pessoas acharem que sou agressiva. 
  6. Sou fácil de agradar porque me encanto com tudo, mas difícil de surpreender porque antecipo sempre as jogadas dos outros.
  7. Sou muito boa a ler pessoas. São pouquíssimas as vezes em que alguém me vem falar de fulano e eu não estivesse já à espera daquilo. Quando não vou com a cara de alguém, dificilmente me engano. Não estou a exercer Psicologia mas estou sempre a analisar toda a gente :p
  8. Às vezes deixa de ter piada ler um livro ou ver um filme porque consigo descobrir o final logo nas primeiras páginas/minutos. É raro um final realmente me surpreender, que eu não tenha já pensado que aquilo poderia acontecer. Daí adorar quando consigo verdadeiramente ser surpreendida com o desfecho de uma história.
  9. Sou 20/30 anos mais nova do que todos os meus colegas de trabalho. Nunca ninguém tão novo quanto eu tinha trabalhado na empresa e isso é sempre motivo de piadas internas. 
  10. Faço 25 anos em Outubro mas facilmente passo por uma miúda de 16/18 e às vezes as pessoas acham que estou a mentir quando digo a minha idade.
  11. Nunca fui aquela criança princesinha que veste aquelas roupinhas rosa e fica imaculada de manhã à noite, como uma boneca. Pelo contrário, sempre fui muito "mãos à obra" por isso andei sempre descabelada, de pés pretos e dedos com topadas de andar descalça, joelhos em sangue e pele queimada do sol.  Mas a minha mãe orgulha-se sempre de que fui uma criança muito limpinha, "podia-se-lhe dar um chupa ou um rebuçado que não se sujava, nem um bocadinho de baba!". As coisas de que as mães se orgulham :)
  12. Nunca gostei particularmente de dormir e sempre tive muitas dificuldades em dormir a noite toda. Em pequena chorava imenso e depois tive aquela fase do medo do escuro e de dormir sozinha. Continuo a achar que dormir é um desperdício de tempo. Adormeço muito facilmente, mas só à noite quando vou para a cama; não durmo em qualquer lado a qualquer hora! Tenho sérias dificuldades em dormir a noite toda sem interrupções e acordo sempre com as galinhas.
  13. Tento não ligar muito a isso mas às vezes sou supersticiosa e tenho que voltar atrás e fazer o que ia fazer, antes de sair. Por exemplo, o meu irmão ainda há dias começou a chatear-me para lhe dar um beijo antes de sair e eu disse que não para o chatear. Fechei a porta mas voltei atrás porque pus-me a pensar que não sabia se me podia acontecer alguma coisa (ou a ele) e depois ia ficar com o peso na consciência de que não lhe dei um último beijo. Pancas, eu sei.
  14. Não tenho uma melhor amiga. Tive até ao 7º ano, depois ela mudou de escola e nunca mais consegui ter uma amizade como aquela. Tenho amigas que adoro, tenho uma ou outra mais próxima ainda, mas não considero que seja "a" melhor amiga e tenho pena disso. Gostava de ter uma amiga daquelas a quem se confidencia absolutamente tudo, mas não sou desse tipo sequer.
  15. Fiz uma tatuagem quando acabei o curso e não penso fazer mais nenhuma, nunca mais.
  16. Sou feminista e sempre o fui, mesmo antes de saber o que isso é.
  17. Só gosto de ouvir músicas cujas letras eu conheça porque adoro cantar enquanto ouço, embora não cante particularmente bem :)
  18. Fui a primeira (e única, para já) pessoa da minha família a ingressar (e concluir o curso, posteriormente) no ensino superior. A maior parte dos meus primos nem sequer tem o ensino secundário completo (and that's ok). Depois acham que eu sou muito importante porque estudei mais do que eles. #sqn
  19. Adoro o instagram! Não ligo tanto ao facebook mas gosto de ir cuscar as novidades dos outros.
  20. Sou extremamente ansiosa e preocupada com tudo e com nada, com a vida no geral.