terça-feira, 17 de outubro de 2017

Leituras de casa de banho

Desculpem lá o tema mais escatológico, mas vi um segredo no shiuuuu que me fez lembrar deste assunto. O segredo dizia algo como: compro revistas de propósito para ler na casa de banho. Fez-me pensar na quantidade de vezes que vejo essa menção às leituras de casa de banho e na minha sensação constante de que devo ser um ser do outro planeta. É que eu nunca leio na casa de banho.

Nunca entendi essa coisa de precisar de ter algo para distrair, para ler, enquanto se está a fazer o número 2. Afinal, quanto tempo estão estas pessoas na casa de banho? Nossa!
Eu sou um pouco limitada e não consigo fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Ou bem que estou concentrada na tarefa de puxar o número 2 ou ponho-me a ler e esqueço o que estava ali a fazer, true story. E mais a mais, eu sou sempre muito rápida. Acho tão esquisito pessoas que passam horas no trono... Quando eu vou já está "à porta", é sentar e já está. Só demoro se estiver com aquelas dores de barriga horríveis e, nesse caso, tenho lá paciência para pegar numa revista e folhear as novidades! Bem sei que vocês não precisavam de saber deste tipo de informações, mas é só mesmo para expressar a minha incompreensão por pessoas que passam tanto tempo na casa de banho que até precisam de ler para passar o tempo. É estranho! 

No máximo dos máximos, dou uma espreitadela no instagram. Na louca, já levei o portátil porque estava a ver um vídeo qualquer e não me apetecia dar pausa. Mas ficar lá tempos infinitos? Nope. Faz-me lembrar quando dormia em casa da minha avó, queria ir à casa de banho e o meu tio estava na casa de banho há duas horas a ler o seu livrinho. Levava o livro para se distrair e acabava por ficar lá sentado a ler, porque se distraía do que estava a fazer e ia ficando lá. Imagino o rabo destas pessoas quando se levantam! ahahaha 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Fim de semana negro

Acho que aconteceu um bocado de tudo este fim de semana passado. Bati com o carro numa situação mesmo estúpida. O meu primo teve um pequeno acidente e os bombeiros, que estavam a 5 minutos do local, levaram meia hora a chegar. Senti-me mal disposta. Estes incêndios que assolam o país... Credo. Espero que a semana comece de melhor forma! 

sábado, 14 de outubro de 2017

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Aleatoriedades

Escrevi uma carta para mim mesma, no dia do meu aniversário, para abrir no meu aniversário em 2022. Conto um pouco da minha vida atualmente e o que desejo ter conquistado até ao dia em que fizer 30 anos. Espero que tudo o que eu projeto para o futuro se realize. Tenho feito por isso, pelo menos. 
Estou curiosa para saber como a M. de 30 anos vai reagir às coisas que se passam agora na vida da M. de 25 anos. Sempre achei este exercício da carta para abrir dentro de 5 anos uma coisa muito interessante mas adiei sempre. Achei que fazer 25 anos era um marco suficientemente interessante para fazer um ponto de situação da minha vida. 

Espero, daqui a 5 anos, poder abrir a carta e vir partilhar aqui a reação à mesma :)

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Regozijo de preguiçosa

Quando vou reencaminhar emails de uns clientes para outros e abro um email cujo primeiro nome do cliente a quem enviei é o mesmo que o nome do cliente a quem vou enviar, só tendo que modificar o último nome...

A felicidade está nas pequenas coisas, não é?

O dia em que deixei de ir ao cabeleireiro

Já tinha aqui contado as peripécias das minhas idas ao cabeleireiro. Tudo estava bem enquanto só ia cortar e pintar com a mesma cor de sempre, mas quando comecei a querer fazer coisas mais técnicas, o resultado deixava sempre muito a desejar. Não me considero esquisita, mas sei que sou difícil de agradar porque gosto das coisas bem feitas. Aquela coisa de "não está perfeito mas dá para o gasto" não é para mim em ponto nenhum da minha vida. Sou rigorosa e exigente comigo e com os outros. Não gosto de coisas a desenrascar, gosto de coisas bem feitas, e senti que os resultados das minhas idas ao cabeleireiro nunca eram os que eu pedia, era sempre a desenrascar, sempre no quase. Não me conformo com isto. E depois fiquei com trust issues. Pensei cá para mim: vou agora penar outra vez para encontrar outro cabeleireiro que pode nem fazer o que eu pretendo tal como pretendo? Não, não vou.

Comecei por ver vídeos no youtube para mostrar à minha cabeleireira exatamente o que queria e como se fazia. Só que depois comecei a achar aquilo super fácil para ser eu mesma a fazer. E sabem que mais? Foi isso que fiz. Achei que seria bem capaz de pintar o meu cabelo, cortar (como já corto há imenso tempo), até fazer madeixas. Não faltam tutoriais simples no youtube. Comecei a pensar que o melhor seria pintar o cabelo o mais próximo possível da minha cor natural e começar daí, de novo. E assim fiz. Quando meto uma ideia na cabeça, não descanso enquanto não a concretizo. Vesti-me, fui ao supermercado e comprei tinta para pintar o cabelo. Não minto -  é difícil pintar um cabelão do tamanho do meu, mas com ajuda da minha mãe correu tudo pelo melhor. A ideia era ser uma cor de transição, escurecer para depois fazer as madeixas como eu queria, mas estou a gostar tanto de ter o cabelo escuro de novo que nem sei se vou fazer alguma mudança nos próximos tempos. Ficou mais escuro do que eu pensava, está quase preto, mas estou a gostar muito! 

A ideia é só voltar ao cabeleireiro porque quero e não porque preciso. Ser capaz de fazer as coisas básicas sem perder demasiado tempo nem dinheiro. Sempre já arranjava o cabelo em casa e já... Não me vai fazer diferença nenhuma ir lá só para pintar, já que é algo que posso fazer em casa. Cortar as pontas também faço em casa e não pretendo cortar o cabelo de forma radical nos próximos tempos. Quando quiser dar um corte a sério, marco uma hora no cabeleireiro e vou. Se precisar de um penteado mais elaborado, marco também. Mas só para o dia a dia, para retocar raízes ou cortar pontas, esqueçam. Nunca gostei de ir ao cabeleireiro, perde-se sempre lá imenso tempo. É verdade que adoro que me lavem a cabeça, mas essa era a única coisa boa de ir lá. Ficava sempre chateada com o tempo de espera, com as conversas cocós das outras pessoas que aproveitam para cuscuvilhar a vida de todos, dos trabalhos mal feitos... 

Para já é este o plano. Se mudar de ideias, também não tenho problema nenhum de voltar a um cabeleireiro. Estou a gostar da mudança e, principalmente, de sentir que estou no controlo da situação. Adeus caracóis de boneca de porcelana!

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Obrigada!

Adoro fazer anos. Sempre gostei de celebrar e gosto sempre de fazer um big deal à volta do meu dia. É aquele dia do ano em que celebramos mais um ano de vida, mais memórias, mais conquistas e eu acho que isso é importante. Todas as pessoas à minha volta sabem como eu adoro fazer anos e esmeram-se sempre nas celebrações e nos desejos de bom aniversário. Felizmente posso dizer que me sinto acarinhada diariamente, mas no aniversário sabe sempre bem receber aquela mensagem especial, aquele telefonema. Para mim, esta é a essência dos aniversários: agradecer pela vida que temos, fazer planos para o ano que aí vem e aproveitar a ocasião para dizer o que sentimos. 

Este ano fui trabalhar pela primeira vez no dia do meu aniversário. Até agora estudava ou estava desempregada ou calhou ao fim de semana. Confesso que fiz o mínimo possível e até me organizei de forma a conseguir acabar o trabalho mais cedo. Passei o dia praticamente todo sozinha em casa a trabalhar e ao fim do dia fui jantar a casa da minha avó com a malta do costume. Não fizemos nada de especial, mas sabe sempre bem ter um motivo para juntar aquelas pessoas à mesa. Comemos, rimos, falamos alto como sempre, fizemos a festa. Sou grata por não ser preciso alguém fazer anos ou haver alguma ocasião especial para que tudo isto aconteça. Mas, enfim, cantamos os parabéns daquela forma destrambelhada do costume, comemos bolinho, houve algumas prendas, xixi e cama. É isto a vida de adulto :) Continuo a adorar fazer anos, mas confesso que toda aquela excitação pelo dia, a contagem decrescente, todo o aparato vai passando. Com o tempo eu mesma começo a tornar-me mais calma, mais sossegada, menos ansiosa e isso reflete-se também nestas coisas. 

Foi um dia bom, no geral. Recebi muitas mensagens bonitas. Sou uma sortuda!
Obrigada também a vocês pelos comentários no blog e no instagram e pelos vossos votos sinceros de parabéns. Fico muito contente por haver esta relação de proximidade com quem me lê e sinto-me sempre muito acarinhada aqui, o que é incrível vindo de pessoas que não me conhecem na vida real. Obrigada a todos. E agora, vamos lá fazer destes 25 os anos mais incríveis de sempre! :)